Projeto Qualidade das Águas

Projeto Qualidade das Águas

Cuidar da água é um importante item na produção responsável e sustentável. Por isso, a Faber-Castell investe firme em diversas áreas, no consumo e no tratamento dos efluentes de sua atividade industrial.
30_agua_new_1.jpg

O monitoramento das águas que passam pelos rios e córregos dos parques florestais da Faber-Castell tem como objetivo avaliar os efeitos gerados pelas plantações de pinus. Desta forma, são avaliados a temperatura, cor, níveis de sólidos, presença de minerais, além de serem realizadas outros 54 tipos de análises.

Tratamento da água utilizada nas unidades

14_agua_04.jpgEmbora cerca de dois terços do planeta seja composto por água, apenas 2,75% dela é doce. E apenas 1% serve ao consumo humano. Ciente da importância da água, tanto para a espécie humana como para todas as outras formas de vida, a Faber-Castell se preocupa em tratar toda a água que sai de sua fábrica e que é devolvida ao meio ambiente por intermédio da Estação de Tratamento de Efluentes (ETE).

Aliás, todo efluente sanitário e industrial gerado pela unidade é 100% tratado pela ETE, que teve o início de suas operações em 1980. A estação possui dois tanques para tratamento físico-químico, com capacidade de 16 m3 cada, e dois tanques para tratamento biológico de 50 m3 cada. A capacidade total de tratamento atinge 200 m3/dia.

Tratamento físico-químico

Previamente analisados, os efluentes químicos são adicionados para que ocorra a decantação de todo material sedimentável e gerando apenas o sobrenadante límpido que será encaminhado para aeração nos tanques biológicos. O lodo gerado pela retirada do material sedimentável é prensado em filtro-prensa e destinado para co-processamento em fornos de cimenteiras.

Tratamento biológico

14_agua_03.jpgPelo processo de lodos ativados – empregado em todo o mundo devido à alta eficiência associada à pequena área de implantação – este tratamento baseia-se na oxidação bioquímica dos compostos orgânicos e inorgânicos presentes nos efluentes sanitários, mediada por uma população microbiana diversificada.

A qualidade do efluente é refletida pelas espécies constituintes do lodo e do nível de matéria orgânica em decomposição de um certo meio expressas nos resultados das análises de DBO. O efluente sanitário sofre aeração por intermédio de dispersores elétricos. Como o processo de degradação da matéria orgânica consome oxigênio, o tanque é equipado com sistema de aeração que fornece oxigênio para estas reações. O aerador é capaz de transferir a quantidade de oxigênio necessário para a sobrevivência e ao crescimento da microfauna no tanque.

Atualmente, o volume tratado de efluentes industriais e sanitários pela ETE é de aproximadamente 80 m3/dia, sendo que a eficiência com relação a DBO5 é de 98%.

14_agua_2.jpg

Para garantir que o tratamento está correto, antes de a água ser devolvida aos rios, passa por um aquário cheio de peixes que atestam sua limpeza.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15